Skip to content

Quilombolas – Informações, dúvidas e mais!

Eu vi o termoFamílias Quilombolas” um formulário do governo, e fiquei intrigada, pois não sabia exatamente, do que se tratava. Pesquisando, descobri que em todos os estados brasileiros existe uma dessas comunidades. E neste artigo vou compartilhar muitos outros fatos interessantes.

Mas antes de começarmos, é preciso esclarecer que nosso blog, não é uma página oficial sobre o assunto e não temos ligação com nenhuma instituição. Nosso conteúdo existe apenas para ajudar o leitor a entender com mais facilidade já existentes na imprensa nacional.

Obviamente, eu sabia que que essas comunidades estavam, de certa forma, relacionadas aos quilombos da época da escravidão. Mas não sabia mais nada sobre elas, como por exemplo, eu desconhecia completamente a dificuldade que eles passam para garantir a terra em que vivem.

Você, assim como eu, também deve ter ficado bastante intrigado sobre o assunto, do contrário não estaria lendo este artigo. Mas chegou a hora de acabar com essa curiosidade, pois, nos tópicos abaixo você conhecerá tudo sobre esse povo, descendentes de guerreiros. Confira tudo agora mesmo!

Coprodução Internet/Google

O que são as comunidades Quilombolas?

Quilombolas em Santa Catarina
Quilombolas – Informações, dúvidas e mais!

Para você entender melhor o que são as comunidades Quilombolas, é preciso fazer uma viagem no tempo, mais propriamente dito na época da escravidão. Nessa época, quando os negros conseguiam fugir das atrocidades que sofriam, eles se refugiavam em locais de difícil acesso e no meio da mata. Ali montavam o quilombo, que na língua Banto, originária da África, significa fortaleza, acampamento.

Com o tempo esses refúgios, deixavam de ser apenas acampamentos temporários para se tornarem uma comunidade, onde todos trabalhavam no cultivo de alimentos e na criação e caça de animais.

As comunidades Quilombolas no Brasil atual, são formadas por descendentes desses negros que lutavam contra a escravidão no país, os quais preservam a vida simples e as tradições culturais de seus ancestrais africanos.

Não se sabe ao certo qual foi o primeiro quilombo, mas o primeiro registro relatado na história, é referente ao Quilombo dos Palmares, em 1597, na região que hoje é o estado de Alagoas.

Também de acordo com a história, o Quilombo dos Palmares foi destruído em 1694, e seu principal líder “Zumbi” teria sido morto em uma emboscada realizada pelos portugueses.

Quilombolas no Brasil atualCoprodução Internet/Google

Até os dias atuais, os descendentes desses guerreiros negros tentam manter viva essência e a importância dos Quilombolas. E são exemplos de resistência contra a discriminação e o direito de igualdade e liberdade.

Quais as atividades econômicas dos Quilombolas?

Essas comunidades ainda vivem, certa forma, seguindo as tradições dos antigos Quilombolas, e as atividades econômicas são fundamentadas o sistema de extrativismo, ou seja, pela extração de elementos naturais da região, sejam elas de origem vegetal ou animal.

Basicamente essas comunidades se sustentam com atividades como:

  • Agricultura
  • Pecuária
  • Artesanato
  • Turismo histórico

Quilombolas atividades econômicas

Coprodução Internet/Google

Essas comunidades são categorizadas como famílias de baixa e baixíssima renda, e em 1988 o governo criou a Fundação Cultural Palmares, na intenção de preservar a cultura e valores. Bem como garantir os direitos dos Quilombolas e os benefícios junto ao governo, como a inclusão em programas.

A fundação atua fortemente em:

  • Reconhecimento e autenticação da ancestralidade.
  • Divulgação e preservação da cultura dos quilombos.
  • Titulação das áreas Quilombolas no Brasil.

Outra grande luta da fundação é quanto às melhorias na qualidade de vida dessas comunidades, em questões de infraestrutura, saúde e educação.

Onde vivem os Quilombolas no Brasil?

De acordo com Comissão Pró-Índio de São Paulo, que também trabalha em prol das comunidades Quilombolas, atualmente existem cerca de 1916 reconhecidas em todo território nacional.

Algumas já foram certificadas legalmente e até tiveram a titulação de terras registradas, enquanto muitas outras ainda estão aguardando.

Quilombolas atualmente

Coprodução Internet/CPISP.com

Em um levantamento feito pela Fundação Palmares, entre o total de comunidades Quilombolas no Brasil atual, chega a quase 4000 mil, com uma estimativa de 15 mil pessoas.

Principais características desta comunidade?

Você sabe que o Brasil é um país mestiço, e que, de certa forma não tem uma identidade cultural única. E nas comunidades, a influência africana prevalece, e as características que mais se destacam são:

Quilombolas Brasil

Coprodução Internet/Google

  • Culto às religiões afro-brasileiras.
  • Danças em ritmos de lundum e a mazurca.
  • Usam um dialeto secundário com referências africanas, o Banto.
  • São considerados amistosos e bons anfitriões.

Em termos pratos típicos, a importância dos Quilombolas é evidente, afinal de contas são vários pratos da culinária brasileira que tiveram como origem a alimentação dos negros que viviam nas senzalas e até mesmo os já refugiados em quilombos.

E os pratos mais citados são:

  • Cuzcuz de arroz ou milho.
  • Tapioca
  • Arroz com galinha caipira (galinhada)
  • Frango com quiabo
  • Feijoada, originalmente é um cozinho de carnes e feijão português. Mas, reza a lenda, que os escravos teriam usado os pedaços do porco, que foram rejeitados pela “Casa Grande”, que seriam, os pés, orelhas e focinho (a cabeça como um todo) e rabo, pois não tinham carne.

Quilombolas atividadesCoprodução Internet/Google

Em geral, os Quilombolas são vistos como um povo guerreiro, que até hoje luta contra a discriminação e o reconhecimento do valor da contribuição dos negros na cultura e desenvolvimento do Brasil.

Como as terras são demarcadas?

De acordo com os principais representantes dessas comunidades, o processo de demarcação terras Quilombolas é longo, tenso e muitas vezes frustrante, pois existe muita burocracia. Primeiro é preciso ter o reconhecimento firmado junto à Fundação Cultural Palmares, que de o local é terreno dos quilombolas.

Esse certificado só é emitido depois de uma inspeção de antropólogos da fundação. Feito isso, o processo é enviado ao INCRA, que verificará todos os dados históricos e étnicos. Bem como é feito um levantamento de todas as edificações e pequenas propriedades do local em questão.

Na etapa seguinte o INCRA envia o relatório para vários órgão governamentais, o qual será avaliado, entre esses órgão estão:

  • Funai
  • Ibama
  • Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial)
  • GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e outros.

No vídeo abaixo você confere o depoimento do representante de uma das comunidades Quilombolas e sua luta para ter a titulação das terras.

E se você ainda precisa de mais informações, não deixe de verificar os outros artigos do nosso blog, “Agendamento”.